Show simple item record

dc.contributor.advisorMartín de la Cruz, José C.
dc.contributor.authorJabalquinto Expósito, Isabel M.
dc.date.accessioned2022-04-25T07:13:38Z
dc.date.available2022-04-25T07:13:38Z
dc.date.issued2022
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10396/22794
dc.description.abstractA investigação na Sierra Morena Central está desfasada de outros sectores, tais como a Sierra Morena Ocidental e Oriental, para o III e início do II milénio B. N. E. em ambas as áreas foram desenvolvidos e apoiados por outras disciplinas projectos integrados de investigação. Assim, as suas conclusões basearam-se em séries cronométricas e antracológicas, restos ósseos de origem animal e análise da composição dos minerais. Tudo isto tem favorecido uma abordagem científica das estratégias de exploração do território. Esta tese de doutoramento visa incluir a Cueva de Cañaveralejo e o sector da Sierra Morena Central no âmbito da investigação actual, fornecendo novos dados. O primeiro capítulo estabelece os objectivos e a abordagem metodológica deste trabalho. O capítulo dois é dedicado ao estado da investigação arqueológica sobre as comunidades humanas do 3º e início do 2º milénio a.C. no sul da Península Ibérica. São apresentadas as povoações mais emblemáticas com datas absolutas, bem como as principais propostas que enfatizam a gestão e exploração do território durante esta faixa cronológica. O terceiro capítulo centra-se na geografia ou análise do ambiente físico e ecológico do Piedemonte e da Serra Morena (ocidental, central e oriental) e, em particular, da área próxima da caverna conhecida como "Territorio Cañaveralejo", terminando com uma análise da bacia hidrográfica onde se situa a caverna. Para o estudo concentrámo-nos nos aspectos fisiográficos (geologia, litologia, relevo, hidrografia e hidrologia, características climáticas) e palaeoecológicos (vegetação e fauna). O quarto capítulo apresenta os resultados da intervenção arqueológica realizada na Cueva del Cañaveralejo durante 2006 e 2007. Para tal, o capítulo está dividido numa primeira secção na qual se desenvolve a origem cárstica da caverna e a sua evolução morfológica. A segunda é uma revisão historiográfica do trabalho realizado por Juan Bernier Luque (1962) e Beatriz Gavilán Ceballos em 1985. A terceira estabelece a metodologia seguida para a escavação das sondagens A, B e C, os resultados da análise estratigráfica e o método utilizado para identificar e resolver os processos pósdepositivos. O quarto capítulo inclui a interpretação da Sequência Estratigráfica, dividindo a ocupação humana em Fases e Subfases, que são suportadas por uma datação absoluta (EMA) que permite incluir a caverna na seriação temporal da Pré-história do Sul da Península. O capítulo cinco reúne as secções correspondentes ao estudo dos elementos artefactuais extraídos do sondeio A. Cada uma delas tem subdivisões relacionadas com a metodologia, descrição e resultados relevantes de cada uma das Subfases, estabelecidas após a análise da Sequência Estratigráfica. Este capítulo desenvolve a análise estatística, tecnológica e tipológica da cerâmica, da indústria lítica, do macrólito e das peças polidas. Finalmente, são descritos os restos da indústria óssea e ornamental. Para completar o capítulo, incluímos todos os dados relevantes para a descrição dos objectos, suportados por listas, tabelas e gráficos para a análise estatística da tecnologia e tipologia, juntamente com os desenhos das diferentes peças que reforçam os resultados. O capítulo seis refere-se à exploração dos recursos bióticos e abióticos que relacionam o homem com o ambiente natural e que constituem parte das mudanças observadas na cultura material dividida nas duas fases de ocupação da Caverna. O capítulo sete examina a área adjacente à caverna e está dividido em duas secções. No primeiro, os resultados do levantamento arqueológico são apresentados juntamente com a localização dos enclaves com materiais arqueológicos (Mesa del Cañaveral, Mesa de Matatoros, Puntales del Cañaveralejo Norte e Puntales del Cañaveralejo Sur). Cada enclave é estudado numa subsecção, onde as descrições dos artefactos são inseridas. Numa segunda secção, as características territoriais dos sectores relacionados com a ocupação da Caverna de Cañaveralejo são analisadas utilizando Sistemas de Informação Geográfica. No oitavo capítulo discutem-se as principais hipóteses até agora defendidas sobre a gestão por populações humanas do território (organização e exploração) no Alto Vale do Guadiato e no Vale do Guadalquivir. O capítulo nove inclui a Cueva del Cañaveralejo, os seus arredores e o territorio da Serra Morena Central nos processos históricos que tiveram lugar no sul da Península Ibérica durante o terceiro milénio e os primeiros séculos do segundo milénio a.C. Finalmente, o capítulo dez desenvolve as conclusões tiradas, que respondem a uma série de questões.es_ES
dc.format.mimetypeapplication/pdfes_ES
dc.language.isospaes_ES
dc.publisherUniversidad de Córdoba, UCOPresses_ES
dc.rightshttps://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/es_ES
dc.subjectArqueologíaes_ES
dc.subjectIntervenciones arqueológicases_ES
dc.subjectAnálisis territoriales_ES
dc.subjectOcupación territoriales_ES
dc.subjectAsentamientoses_ES
dc.subjectPiedemontees_ES
dc.subjectSierra Morena Centrales_ES
dc.subjectCueva del Cañaveralejo (Adamuz)es_ES
dc.subjectAdamuz (Córdoba, España)es_ES
dc.subjectPrehistoriaes_ES
dc.titleLa ocupación prehistórica en el Piedemonte y Sierra Morena Central durante el III y II milenio a.n.e. a través de la Cueva del Cañaveralejo en Adamuz (Córdoba, España)es_ES
dc.title.alternativeThe prehistoric occupation of Piedemonte & Central Sierra Morena during the 3rd & 2 millennium B.P. through the Cañaveralejo Cave in Adamuz (Córdoba, Spain)es_ES
dc.typeinfo:eu-repo/semantics/doctoralThesises_ES
dc.rights.accessRightsinfo:eu-repo/semantics/openAccesses_ES


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record